fbpx
Carro Preferido

Polo sedã prata para chamar de meu estava do lado de casa, mas foi encontrado no Mercado Livre

Tony recuperou seu Polo após assalto
178visualizações

Quando Tony Alexandre Ferreira vendeu o seu Gol preto GT, ano 2001, já sabia qual carro queria comprar: Polo prata sedã, anos entre 2011 e 2012. Já tinha tudo planejado e até quanto custava. Vendeu o Gol na OLX e foi atrás do tão desejado sedã da Volkswagen. Rodou as principais lojas de carros que ficam perto da sua casa em um final de semana, mas não encontrou. Só tinha à venda Polo hatch. Ele conta que o seu amigo que o acompanhou na busca pelo carro mal entrava na loja e perguntava se tinha Polo sedã  prata à venda e, quando recebia a resposta negativa, os dois já saíam para outra agência.

E acabaram não encontrando. Na segunda-feira seguinte, Tony, que trabalha em escola infantil, resolveu fazer uma pesquisa no Mercado Livre, colocando apenas a região onde mora e teve a grata surpresa de encontrar o tão desejado carro em uma loja que fica bem próxima de sua casa, mas que ele nem tinha lembrado de passar lá.

Ficou ansioso esperando a hora do almoço para dar um pulo na loja e fechar negócio. Quando chegou no local, se debruçou sobre o carro e disse todo feliz: “Ninguém encosta nesse carro, que esse carro é meu”.
Os funcionários não entenderam muito bem a reação, mas depois Tony explicou o quanto havia procurado por um carro como aquele e que estava muito contente e jamais imaginava encontrá-lo tão perto de casa.

Três meses após a compra, resolveu se cadastrar como motorista na Uber e passou a fazer corridas de quinta a domingo na parte da noite para conciliar com o trabalho.

Fazendo esse trabalho, Tony foi assaltado à mão armada junto com a passageira que foi levada pelos bandidos Ela gritou e foi largada mais à frente. Nessa hora, além de ter arriscado a vida, Tony se deu conta que havia perdido o seu bem tão desejado porque ainda não tinha feito seguro do carro. Ficou desolado pensando que só havia sobrado o carnê para pagar.

Disse que só caiu na real quando chegou em casa e viu a garagem vazia e logo pensou que era injusto perder um bem que demorou tanto conquistar de uma forma tão cruel.

24 horas após o roubo, recebeu a notícia que havia sido encontrado o carro e a sensação de alívio foi enorme.

A partir desse episódio desagradável, Tony fez o seguro do carro e passou a tomar cuidado com as corridas, ficou mais cauteloso, não trabalhou mais de madrugada e também começou a recusar trajetos para locais considerados perigosos.

Sobre o Polo ele só tem elogios a fazer. Fala que adora o carro, é bom e não dá manutenção, apenas troca as peças por desgaste. Quando comprou estava com 60.000 km há dois anos e meio e agora o  hodômetro marca 120.000 km.

Tony está tão satisfeito com o Polo que já pensa em trocá-lo por outro do mesmo modelo, mas mais novo. Ele termina dizendo:  “O próximo será Polo sedã”.

Leave a Response

dezoito + quinze =